Na noite da última segunda-feira, 26, a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, através da Secretaria Municipal de Educação (Semed), deu início ao 2º Seminário de Práticas Pedagógicas Interdisciplinares. A ação prevista para ser encerrada da tarde de hoje no Centro Cultural Gilson Prado Barreto, consiste na apresentação e socialização dos projetos desenvolvidos nas unidades escolares durante o período letivo de 2018.

Com o objetivo principal de consolidar um espaço para troca de saberes a fim de compartilhar, entre os docentes e equipe gestora, vivências de diferentes práticas pedagógicas que contribuíram, significativamente, no processo de aprendizagem dos estudantes, a escola inscrita participa do encontro tanto por meio de comunicação oral, quanto por exposições.

“Para o encontro de 2018 nós aplicamos a mesma dinâmica do ano passado. As escolas foram convidadas a apresentarem seus trabalhos realizados e trocarem experiências para enriquecer cada vez mais a prática pedagógica docente. Gostaria de deixar registrado toda a dedicação das escolas no seminário. Tudo isso está acontecendo porque existe um trabalho coletivo de cada comunidade que faz a educação de Socorro”, declarou a diretora de Educação, Andreza Mattos.

A professora que esteve representando as Escolas José Teixeira da Cruz e Jardim de Infância Pequena Fada, Suenize Silva, detalhou o projeto desenvolvido nas unidades do povoado Porto Grande. “Nós desenvolvemos o projeto falando de Dona Dorinha, uma pessoa ilustre da nossa comunidade, dentro do que foi proposto pelo projeto ‘Pessoas Inspiradoras Do Lugar Onde Vivo’, que, por sinal, foi desenvolvido com muito carinho para resgatar nas crianças esse conhecimento de pessoas importantes que moram no local. Durante o processo foram realizadas entrevistas com os filhos da homenageada, como também trabalhamos a literatura de cordel e o reisado”, disse.

Já para a docente da João Paulo II, Mariselma Andrade, que trabalhou com os alunos do Parque dos Faróis, as atividades desenvolvidas estiveram voltadas para a luta do negro contra a escravidão. “Nosso projeto esteve voltado para a consciência negra, em virtude da morte de Zumbi. Vejo que esse encontro é importante porque proporciona para nós professores uma troca de experiências e vai colaborando e aperfeiçoamento na prática diária”, declarou.

Por: Bruna Evelyn

Acessibilidade