Coronavírus: Prefeitura de Socorro oferece atendimento psicológico à população em Isolamento Social

Com atendimentos realizados via redes sociais e ligações as equipes de psicológos da Prefeitura tenta ajudar as pessoas a enfrentarem de forma branda os efeitos psicológicos causados pela Pandemia. 

A Pandemia global provocada pelo novo Coronavírus e os seus efeitos pegou a todos de surpresa. Uma série de mudanças de hábitos e de vida precisou ser adotada por todos, a fim de garantir que a contaminação pelo vírus seja freada e dessa forma possamos retomar às nossas vidas normalmente. Mas se adaptar a essas mudanças não e uma tarefa simples. Crises de pânico, ansiedade, estresse e muitos outros problemas afetam a população, que agora precisa passar muito mais tempo em casa.

Pensando nisso e priorizando a saúde mental dos socorrenses, a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, vem oferecendo atendimento psicológico gratuito é realizado de forma online ou por ligação telefônica, aos cidadãos durante a Pandemia. Esse atendimento também está sendo ofertado aos servidores, afinal o trabalho deles não para é são eles que estão diariamente na linha de frente, servindo a população.

O distanciamento social em que  estamos vivendo acabou, de certa forma, provocando pânico em muitas pessoas, aquelas que já viviam com quadros de ansiedade e depressão, por exemplo, se viram a beira de crises ainda mais fortes e aqueles que nunca conviveram com isso acabaram descobrindo o quanto o distanciamento social, a falta de contato com os colegas de trabalho, amigos e familiares pode prejudicar a saúde mental de uma pessoa.

“Nós, profissionais da saúde mental, já estamos preparados para trabalhar neste momento de pandemia e no pós também”, afirmou a psicóloga clínica do Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), Lenilva Aragão, que mesmo com o isolamento tem trabalhado e atendido os pacientes com consultas, através do WhatsApp e de ligações. “Esse trabalho faz parte do nosso cotidiano, não paramos de atender essas pessoas, inclusive nos casos mais graves, que exigem um encontro presencial, eu também tenho ido até a casa dessas pessoas para ajudar, obviamente seguindo todas as recomendações médicas da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nosso intuito é, assim como o do prefeito Padre Inaldo que nos reforçou a importância desse trabalho, é salvar vidas”, afirma Lenilva.

A psicóloga lembra ainda que na saúde pública, é comum  que o profissional precisem desenvolver alguns processos essenciais de manejo, e foi justamente isso que aconteceu nesse período. “Reorganizamos nossas rotinas de trabalho a pedido do prefeito Padre Inaldo e do secretário da Saúde, Enock Ribeiro, que nos solicitaram que os atendimentos continuassem mesmo com o isolamento. Esse cenário pode ser muito forte para as pessoas que tem uma vida muito cheia de tarefas e afazeres durante o dia, aqueles que estão sempre em contato com outras pessoas, com os amigos, saindo durante os finais de semana acaba sentindo ainda mais o distanciamento social, que é recomendado”, lembra Lenilva.

Lembrando que os efeitos da ansiedade e do estresse podem ser sentidos durante este período que estamos enfrentando, mas também podem deixar marcas traumáticas na vida das pessoas. Para driblar essas dificuldades a psicóloga deu algumas dicas que podem ser seguidas durante esse tempo. “O mais importante é que você filtre as informações que vai receber para se manter informado, cuide do seu sono, valorize a importância de dormir bem, problemas no sono podem desencadear aparecimento de certas condições psicológicas. Evite cafeína, nicotina e álcool, seu consumo não é proibido e não está diretamente relacionado à  insônia, mas pode, eventualmente, ser um fator desencadeador do distúrbio. Ao perceber sinais de que alguma coisa não vai bem procure ajuda profissional, afinal uma noite mal dormida reflete de maneira negativa durante o seu dia e o mais importante pratique atividades físicas, mesmo no espaço domiciliar”, aconselha.

Servidores

Além dos pacientes do município, os servidores da Prefeitura também estão recebendo atenção à saúde psicológica e recebendo esse mesmo atendimento. “Precisamos ter um olhar cuidadoso com estes que estão fazendo o máximo possível para cuidar de nossa população. Sabemos o quanto e cansativo estar na linha de frente durante uma época como essa e o quanto isso pode interferir na sua saúde mental. O trabalho intenso, as dificuldades do dia a dia, a ansiedade, o risco de contaminação, ou medo de contaminar algum familiar ao retornar do trabalho, são alguns de inúmeros fatores que podem alterar o estado psicológico e emocional de nossos profissionais”, pontuou a psicóloga do NASF, Karol Almeida. Assim como os moradores, o contato com os servidores também é feito através do contato telefônico, via whatsApp.

Acessibilidade