Após visitas realizadas pelos alunos da rede municipal de ensino de Nossa Senhora do Socorro ao Fórum Desembargador Pedro Barreto de Andrade, localizado no Marcos Freire II, os alunos da Escola Municipal João Paulo II, realizaram na manhã desta sexta-feira, 30, apresentações voltadas à resolução de conflitos, tema principal do projeto “Escolas no Fórum”, desenvolvido pelo Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE), em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed).

De acordo com a coordenadora de projetos da Semed, Nárya Gorett, cerca de 900 alunos já participaram do projeto que busca, principalmente, promover a cultura de paz entre os alunos dentro e fora do ambiente escolar. “Ano passado recebemos esse convite do Tribunal de Justiça para levar os nossos alunos ao Fórum, onde seriam debatidos a importância de manter o diálogo. De imediato a secretária Marieta abraçou a ideia e desde então nossos alunos vêm frequentemente realizando essas visitas. Em todos as visitas é perceptível o quanto eles ficam maravilhados em conhecer o ambiente físico e o contato direto com o juiz Salvador”, declarou.

Em agradecimento a parceria e retorno do que foi assimilado durante a visita, os alunos da João Paulo realizaram apresentações e simularam audiência, com foco voltado para a resolução de conflito, conforme aponta a diretora da unidade escolar, Lucilda Vasconcelos. “Depois que realizaram a visita ao Fórum os alunos ficaram mais animados e adquiriram mais conhecimentos. Então como forma de agradecimento eles se prepararam com bastante entusiasmo para fazer belas apresentações, cientes de que o respeito deve ser mútuo e o diálogo é a melhor saída”, disse.

Desde a implementação cerca de 20 escolas do município foram beneficiadas pelo projeto, que consistem em conhecer o ambiente físico do órgão público e na apresentação de palestras e oficinas. “Estou bastante emocionada porque é um pouco do retorno que os alunos estão mostrando do que foi aprendido nas oficinas que oferecemos e isso mostra que os objetivos foram atingidos. Quando eles fizeram a proposta inversa de convidar o Judiciário para comparecer na escola e mostrar que eles entenderam a mensagem, é muito positivo e animador para que possamos continuar com o projeto no próximo ano”, disse a idealizadora do projeto, Heloísa Joana.

“Durante a visita aprendi que temos diversas estratégias para resolver conflitos e evitar algo  mais grave, sempre tentando resolvê-los através da conversa. Fico feliz em poder participar de forma ativa na organização dessa atividade, que é uma forma de mostrar o que aprendemos durante a visita ao Fórum”, declarou a aluno do 8º ano, Ana Carolina Ferreira.

Por: Bruna Evelyn

Fotos: Edilson Menezes

Acessibilidade