Medida foi adotada pela prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, a fim de minimizar os efeitos do isolamento social para as famílias em situação de vulnerabilidade social

Todos os dias os servidores da Secretaria Municipal da Assistência Social (Smas), deixam sua casas para trabalhar em benefício dos cidadãos socorrenses. Através do trabalho desenvolvido por eles nos mais diversos setores, em especial na entrega do auxílio das cestas básicas. O trabalho está se intensificando cada vez mais e os telefones não param de tocar. Todos os dias são várias solicitações de cestas básicas que vêm de todos os bairros, conjuntos e povoados do nosso município.

E quem destaca esse crescimento é Giselle, coordenadora do CRAS Zilda Arns, localizado no conjunto João Alves. “Chega a ser impossível dizer quantas vezes o telefone toca e quantas ligações a gente atende, é uma ligação atrás da outra, mas temos nos dedicado ao máximo, a pedido do prefeito Padre Inaldo e da Secretaria Municipal de Assistência, Maria do Carmo, para atender o maior número de pessoas possível”, garante.

No começo do isolamento social, no mês de março eram entregues cerca de 100 cestas mensalmente. Com o passar dos dias esse número aumentou para 200 cestas por dia e alguns dias já chegaram a 500 cestas. Para conseguir atender toda essa demanda, várias mudanças precisaram ser realizadas. “Tivemos que remanejar alguns servidores de outros setores e eles têm nos ajudado com a realização do trabalho da entrega de cestas. Contudo o que nos motiva é que, muito mais que números, nós estamos trabalhando para beneficiar milhares de famílias, garantindo a cada uma delas condições de manter suas necessidades básicas, mesmo durante a pandemia”, comemora Giselle.

Atenção aos trabalhadores

Além das famílias em situação de vulnerabilidade social, já atendidas rotineiramente pela SMAS, algumas categorias de trabalhadores do município também foram beneficiadas com a doação de cestas básicas, vez que precisaram deixar de realizar suas atividades de trabalho em virtude das medidas de segurança é isolamento social, provocadas pela Pandemia do novo Coronavírus. Entre eles, estão motoboys, motoristas de transporte escolar, músicos, taxistas, ambulantes, carroceiros, entre outros.

Antes de começar o trabalho, todos os motoristas recebem um kit com máscara descartável e luva e em todos os carros tem álcool em gel 70% que é o indicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A secretaria da Assistência Social, Maria do Carmo, também disponibilizou máscaras de tecido para os funcionários que ficam nos equipamentos, assim todos mantêm as medidas de proteção da saúde e exerce sua função da melhor forma e com toda a segurança necessária.

A coordenadora da Tenda Cultural, Ana Paula, mudou a sua função e agora faz parte da equipe que entrega as cestas, “Durante o isolamento social a convite da secretária Carminha, saí da Tenda Cultural e passei a integrar a equipe que está nas ruas entregando cestas básicas. Esse é um trabalho árduo, mas gratificante, pois sabemos o quanto o usuário precisa da cesta básica”, afirmou ela que ainda enfatizou que ainda não está 100% acostumada com o uso das máscaras. “É uma realidade nova, mas totalmente necessária”, completou.

O serviço de convivência e fortalecimentos de vínculos, é um dos serviços que tiveram que parar suas atividades, mas mesmo longe os usuários estão mantendo contato com os oficineiros e coordenadores através das redes sociais. “Continuo no contato com meus beneficiários da Tenda nos grupos de WhatsApp dos diversos grupos de idosos, com os pais das crianças e adolescentes. Vamos continuar nosso trabalho, não está sendo fácil, mas as pessoas precisam que a gente continue trabalhando. Tudo isso para que possamos continuar trabalhando em benefício dos socorrenses, para mantê-los em casa e seguros”, disse a secretária da Assistência Social, Maria do Carmo.

Acessibilidade