O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), realizou na manhã desta quarta-feira, 02, no Centro Cultural Gilson Prado Barreto, na sede do município, um treinamento para os servidores do município que se voluntariaram para atuar no processo de escolha unificado para conselheiros tutelares, que será realizado no próximo domingo, 06 de outubro.

No dia da votação, cerca de 300 funcionários públicos irão se dividir em 21 unidades de ensino e 56 sessões e atuarão como mesários, fiscais e presidentes de sessão, fazendo a checagem de nomes por sessão e zona eleitoral, conferência de documentos de identificação e título de eleitor e garantindo o bom uso da urna eletrônica.

O processo de escolha tem o apoio da Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, e a presidente do CMDCA, Michelle Marry, agradeceu pelo apoio concedido pela Prefeitura. “Agradeço ao prefeito Padre Inaldo e a cada secretaria por toda a estrutura que nos foi disponibilizada para a realização desse evento. Nunca tivemos um processo tão organizado e a gente deve tudo isso ao apoio concedido pelo município”, agradece.

O Ministério Público esteve representado pelo Promotor de Justiça, Sandro Luiz da Costa, que explicou sobre o papel do Ministério Público durante o pleito. “O nosso papel é basicamente de fiscal, garantindo a transparência no pleito e que todas as normas estabelecidas sejam seguidas de forma a propiciar um pleito igualitário e justo para todos os candidatos e a sociedade. Os conselheiros tutelares cumprem uma função muito importante de proteção da criança e do adolescente”, explica.

A servidora da Secretaria Municipal de Educação, Lígia Bittencourt, irá trabalhar na votação e falou sobre a importância do treinamento. “Esse momento é de suma importância para que a gente esteja por dentro do acontecimento, esclarecendo dúvidas e sentindo segurança nas nossas ações no dia. São pessoas de várias secretarias que podem ver a seriedade que está sendo conduzido esse pleito. Hoje está sendo fechado um ciclo com a certeza que não estamos sozinhos no desenvolvimento da prática no dia”, disse.

Acessibilidade