Mais uma vez, a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, através das Secretarias de Planejamento (Seplan), Fazenda (Semfaz) e Controle Interno, realizou uma audiência pública para apresentar à população socorrense a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2020. O debate se faz necessário para estabelecer metas e prioridades da gestão municipal para o exercício financeira do ano seguinte.

“A LDO vai justamente apontar os caminhos que devem ser executados no ponto de vista do planejamento e das finanças municipais para que no próximo semestre sejam analisadas a Lei Orçamentária Anual de 2020. Depois da audiência o município vai encaminhar a proposta para a Câmara de Vereadores, onde se discute as peças orçamentárias e aprove essa Lei”, declarou o secretário de Planejamento, Hallison de Sousa.

Além da presença de autoridades, lideranças comunitárias e populares participaram da discussão que deve definir o futuro do município. “A audiência pública serve para que possamos ouvir todas as demandas da população de diversas áreas sociais, porque são eles que visualizam as principais demandas do município, é ela que vai direcionar as ações que devem ser feitas. Nosso papel é planejar e fazer acontecer”, declarou o secretário de Controle Interno, Valter de Souza.

O líder comunitário do conjunto Parque dos Faróis, José dos Reis, acredita que são em momentos como estes que a população deve se posicionar e buscar junto à gestão melhorias para o município. “É uma grande oportunidade que a população tem de discutir o orçamento e a nossa entidade tem um grande interesse também, porque iremos levar o termo de resposta para que a comunidade do Parque dos Faróis preencha o formulário com as principais necessidades do município”, declarou o líder comunitário.

De acordo com a secretária da Fazenda, Iraci Lima, o município tem trabalhado conforme as leis para arrecadar recursos próprios e aplicar nos mais diversos setores. “Desde que o prefeito Padre Inaldo assumiu a gestão nós estamos investindo no setor tributário, no cadastramento dos imóveis. O prefeito tem feito justiça fiscal, ou seja, todas as pessoas que gozam do benefício de isenção estão sendo atendidas e também estamos buscando empresários, as indústrias e aqueles que realmente podem pagar e não pagavam”, explicou.

Fotos: Igor Mamedio

Acessibilidade