Certamente você já deve ter ouvido falar sobre a febre aftosa. Mas você sabe, por exemplo, como ela atinge os animais, quais espécies são susceptíveis e quais são os sinais? Não. Fique aqui que a gente te explica.

A Febre aftosa é uma doença infecciosa aguda que causa febre, seguida pelo aparecimento de vesículas (aftas), principalmente na boca e nos pés de animais como, por exemplo, nos bovinos, ovinos, suínos e caprinos. O vírus está presente em grande quantidade no fluido das vesículas e também pode ocorrer na saliva, no leite e nas fezes dos animais afetados.

A contaminação de qualquer objeto com qualquer dessas fontes de infecção, é uma fonte perigosa de transmissão de um rebanho a outro. Os animais adquirem o vírus ou por contato direto com outros animais infectados, contato com alimentos e objetos contaminados. De acordo com a Ministério da Agricultura, a transmissão para seres humanos é raríssima. Só existe um registro de Febre Aftosa em humanos na Grã Bretanha em 1966.

Campanha

A campanha organizada pelo Ministério da Agricultura é realizada em parceria com os municípios e estados do Brasil e possui duas etapas. A primeira realizada em maio e a segunda no mês de novembro. Os produtores de bovinos e bubalinos devem ficar atentos a nova mudança, pois a dose foi reduzida de 5 para 2ml. Além de baratear os custos para o criador, a redução irá causar menos reações nos animais.

De acordo com com o secretário de Agricultura, David Fernandes, a expectativa é que cerca de 6 mil bovinos sejam vacinados em Nossa Senhora do Socorro e a campanha será encerrada no dia 30 de novembro. A vacina pode ser encontrada nas casas agropecuárias e após a aplicação, o proprietário deve apresentar a nota e declarar que aplicou a dose do animal na Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) ou na Secretaria Municipal de Agricultura, Irrigação e Pesca (SMAP), localizada na sede do município.

Acessibilidade