Aconteceu na tarde da última terça-feira, 18, na Tenda Cultural do conjunto João Alves mais uma ação do Projeto Pescando Memórias em parceria com as Secretarias municipais de Assistência Social (SMAS), Saúde (SMS), Educação (Semed) e Cultura (Semcult), a atividade intitulada “Circuito dialogando com você” propõe rodas de conversa com as comunidades socorrenses a fim de tratar temas vigentes na sociedade.

Nessa primeira edição o tema debatido por meio de concurso de poesias, de desenhos, oficina de grafite e bate papo foi “Drogadição”, com a participação de jovens e adolescentes atendidos pelos espaços de convivência do município, além dos usuários dos centros de atenção psicossocial e membros do Projeto Pescando memórias. Representando a SMAS, a secretária adjunta da pasta, Aída Santana falou sobre a importância de promover espaços.

“Esse é um tema recorrente na sociedade, um problema que afeta famílias como um todo, crianças, jovens, adultos acabam se envolvendo com drogas e nós temos que valorizar o trabalho que tem sido feito no município através do projeto pescando memórias, que tem tido todo apoio da prefeitura, por meio da secretaria de assistência social e do conselho municipal de assistência social, parcerias que são muito importantes para o nosso avanço na luta contra as drogas”, destacou.

O idealizador do projeto Givanildo Santana, destacou a importância de dialogar com a comunidade e não só falar, mas também ouvi-los. “Drogadição foi o tema quando concorremos ao edital do conselho da crianças e do adolescente, nosso trabalho nesse sentido é de combate as drogas, por isso através de ações como essa a gente cria possibilidades de tratar o tema sem afastar os usuários, além de atuar como uma prevenção também para que esses jovens e adolescentes não entrem no mundo das drogas. Essa ação de dialogar com a comunidade será feito em outros espaços, outras comunidades a fim de que a gente possa tratar das necessidades dos jovens e adolescentes em cada localidade”, explicou.

Para o adolescente, Ruan de Almeida, 13 anos, o espaço reflete uma preocupação que todos deveriam ter para não se envolver com o universo da drogas. “Se todos bem soubessem nunca nem experimentava, porque vicia e destrói muitas famílias, onde eu moro sempre vejo o que as drogas causam nas pessoas”, afirmou. Durante a roda de conversa os participantes puderam trocar experiências e mostrar as suas próprias perspectivas a respeito do tema.

“Um evento muito importante para comunidade, especialmente por ser um projeto já tão consolidado no município, que é o pescando memórias, nós enquanto gestão e secretaria de cultura estamos aqui para apoiar essas ações que envolvem crianças e adolescentes com essa temática das drogas e a gente pode ver os participantes mostrando através de desenhos e poesias o que eles pensam sobre o assunto”, afirmou o secretario municipal de cultura, Natan Reis.

Texto e fotos por: Ana Lúcia Carmo

Confira:

Acessibilidade