Creche terá capacidade para atender 120 crianças em dois turnos

A Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, graças ao envolvimento das Secretarias Municipais de Infraestrutura (Seminfra), Planejamento (Seplan) e Educação (Semed), deu início às obras da construção da nova Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI – Creche), localizada no conjunto Piabeta. A unidade de ensino terá capacidade de atendimento até 120 crianças, em dois turnos (matutino e vespertino), ou 60 crianças em período integral.

Desde que assumiu o município, a gestão de Padre Inaldo entregará aos socorrenses a quinta creche (Michelle de Jesus, Cido Capunga, Dom Hélder e Ana Cristina Aragão) em pouco mais de um ano. A EMEI – Creche da Piabeta é  um projeto Proinfância Tipo “C” do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ou seja, modelo padrão de educação infantil. Assim como as demais, esta será equipada e estruturada para receber com mais conforto crianças entre 0 e 3 anos.

Por entender a necessidade da comunidade da Piabeta e, principalmente, de possibilitar uma educação de qualidade aos pequenos e garantir que os pais possam trabalhar tranquilos, certos de que seus filhos estarão num lugar seguro e estruturado, o gestor municipal pediu celeridade no andamento da obra. A previsão é que a unidade seja finalizada em janeiro de 2020.

Através da nova unidade de ensino infantil, as crianças irão possuir a capacidade  de desenvolvimento físico e cognitivo, capacidade intelectual e socialização, pontos considerados fundamentais para a construção de um indivíduo com capacidade plena de interação social.

Com 1.575 m² de área construída, o prédio contará com sala multiuso, vestiários, copa, lactário, higienização, lavanderia, cozinha, despensa, triagem e lavagem, refeitório, sala de professores, administração, almoxarifado, berçário e fraldário, parquinho, e banheiro para portadores de necessidades especiais.

Investimento 

Serão investidos R$ 1.483.316,37, sendo R$ 805.524,69 de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e R$ 677.791,68 de contrapartida do município. A obra, iniciada na gestão anterior estava cancelada e foi retomada em julho deste ano. “Nós encontramos a obra paralisada, então tivemos que fazer uma nova licitação para que pudéssemos retomar a construção”, explicou o secretário de Planejamento, Hallison de Sousa.

Fotos: Wallison Oliveira

Acessibilidade