Com o tema ” Criança não deve trabalhar, infância é para sonhar”, a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, através da Secretaria Municipal de Assistência Social (Smas) e em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou o 1º Simpósio em Combate ao Trabalho Infantil. O evento foi realizado na manhã desta quarta-feira,12, no Centro Cultural Gilson Prado Barreto, localizado na sede do município.

Durante a solenidade, crianças e adolescentes que fazem parte do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e alunos da rede municipal de ensino, tiveram a oportunidade de assistir palestras e apresentações sobre o tema. A ação contou também com a participação de atendidos pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Para a Secretária de Assistência Social, Maria do Carmo, o evento tem como principal objetivo conscientizar a população sobre o tema. “Com esse simpósio queremos alertar os pais, empresários e toda sociedade sobre o trabalho e escravidão infantil, que infelizmente ainda hoje existe e que a gente também conscientize essas crianças que estão nas ruas que trabalham para auxiliar na renda da família. A Prefeitura vem criando projetos para oferecer para as nossas crianças e adolescentes tenham uma alternativa de participar de projetos que sejam um complemento na educação”, disse.

A procuradora do município, Carolina Barreto, falou sobre o trabalho da procuradoria em relação ao tema. “A procuradoria vai atuar nas atividades que precisam de legalização, ou seja, todos os processos que passam pela gente, verificamos se está de acordo com a lei e com o Eca, protegendo a criança e o adolescente. No dia de hoje estamos mobilizando as secretarias e a comunidade contra o trabalho infantil, pois precisamos proteger esse público, oferecendo educação e que futuramente tenham um trabalho digno”, explica.

O adolescente João Marcos, participou das atividades desenvolvidas pelo serviço de convivência e conta sobre a satisfação em participar das atividades. “É motivo de muita alegria participar dessas atividades, eu mesmo participo de várias como canto, violão, karatê, capoeira, entre outras, e isso vem contribuindo para o meu desenvolvimento”, disse.

Fotos: Antônio Carlos

Acessibilidade