As unidades de ensino da Rede Municipal de Nossa Senhora do Socorro realizam nesta quinta-feira, 29, palestras que integram o Programa “A Hora do Faça Bonito”. Com o intuito de atender ao proposto na iniciativa, as escolas da Rede Municipal na última quinta-feira de cada mês, fazem uma paralisação em suas atividades, de 40 minutos nos turnos, às 10h e às 16h, para realizar uma abordagem direta junto aos estudantes para conscientizar acerca do enfrentamento das diversas formas de violência.

A secretária Municipal de Educação, professora Josevanda Mendonça Franco, relembra que a iniciativa foi lançada em maio e por consequência dos festejos juninos e do recesso das escolas “A Hora do Faça Bonito” teve a sua implementação no mês de agosto.
“Embora o Faça Bonito seja uma campanha de enfrentamento à violência sexual praticada contra a criança e o adolescente, o Programa ‘A Hora do Faça Bonito’ está voltado também para o enfrentamento da violência doméstica, incluindo mulheres e idosos”, explicou a secretária, ao destacar as especificidades da ação no município de Nossa Senhora do Socorro.

A campanha Faça Bonito é realizada nacionalmente, representada por uma flor amarela, que simboliza o cuidado e a proteção que devemos ter com as meninas e meninos. Em Nossa Senhora do Socorro, a Prefeitura, por meio das ações da Secreta Municipal de Educação (Semed), em parceria com as Secretarias Municipais de Assistência Social (SMAS), de Saúde (SMS), lançaram a iniciativa a “ A Hora do Faça Bonito”. Trata-se de uma ação estratégica de prevenção, de caráter intersetorial para publicizar e mobilizar a sociedade socorrense comprometendo-a com a responsabilidade da proteção da criança e do adolescente.

Para subsidiar a atividade, os técnicos de referência utilizam material impresso de disseminação dos aspectos relacionados as diferentes formas de violação dos direitos humanos.

Educação para prevenção

A diretora da Escola Municipal Diva Maria Correia, no conjunto Fernando Collor, Denize de Morais, reconheceu que a educação tem um papel importante para a prevenção. “É necessário abraçar esse Programa para conscientizar a comunidade escolar. As atividades aconteceram nos três turnos – no Ensino Fundamental e na Educação de Jovens e Adultos – abordagem foi feita de forma acessível e os estudantes gostaram muito da iniciativa”, destacou.

Segundo o diretor da Escola Municipal Manoel de Jesus Silva, André Augusto Andrade, a Semed mais uma vez acertou na implementação dessa ação. “A Hora do Faça Bonito é uma iniciativa fantástica, trata-se um programa excelente, que aborda assuntos delicados e que é necessário a conscientização para o enfrentamento. Foi notório que os estudantes se interessaram pela temática”, disse, ao comentar que na unidade de ensino aconteceu uma palestra com a psicóloga vinculada ao Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), Lenilva Vieira Aragão.

Defesa dos Direitos Humanos

Para a secretária, o enfrentamento à violência sexual praticada contra a criança e o adolescente é uma conquista da luta pelo reconhecimento e prática dos direitos humanos. “O artigo 245 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determina a obrigatoriedade do médico, professor ou responsável por estabelecimento de atenção à saúde e de ensino fundamental comunicar à autoridade competente os casos que tenham conhecimento, envolvendo suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente” elucidou Josevanda Mendonça Franco. Ainda de acordo com ela, para além do ECA, a própria Constituição, no artigo 227, determina que é dever da família, sociedade e estado assegurar os direitos da criança e adolescente.

A Hora do Faça Bonito

A iniciativa tem como público-alvo operadores da Educação e alunos, famílias e usuários dos equipamentos da Assistência Social e da Saúde. Para subsidiar a atividade, os técnicos de referência utilizam material impresso de disseminação dos aspectos relacionados as diferentes formas de violação sexual praticada contra crianças e adolescentes. Além disso, serão informadas as estratégias de noticiamento, com a revitalização do formulário do Sistema de Aviso Legal por Violência Contra Criança e o Adolescente (Salve).

Por:Lívia Lessa

Acessibilidade