O projeto “Tecendo a rede: Edificando um trabalho para a inclusão”, desenvolvido pelo Núcleo de apoio à Saúde da Família (NASF) de Nossa Senhora do Socorro, recebeu na última quarta-feira, 27, o segundo lugar na I Mostra de Experiências do Nasf.

A premiação realizada pela Secretaria do Estado da Saúde (SES), através da Coordenação de Atenção Primária à Saúde, em parceria com a Fundação Estadual de Saúde (Funesa), recebeu 48 projetos inscritos no edital, destes, 12 foram selecionados para a apresentação, onde foram avaliados e premiados os 3 primeiros, incluindo o socorrense com o segundo lugar.

O “Tecendo a rede” é um trabalho de inclusão biopsicossocial educacional para crianças acometidas a síndrome congênita do Zika Vírus e seus familiares, que visa promover proteção, cuidados com a saúde e apoio na rede municipal de saúde. Durante o projeto foram realizadas oficinas para a construção de kits multisensoriais de estimulação precoce para as crianças, além de acompanhamento dessas famílias.

A idealizadora do projeto, Vanessa Goes, é fonoaudióloga do Nasf, ela fala com orgulho do resultado do seu trabalho. “O sentimento é de dever cumprido. Sempre soube que aquela sementinha que plantei na equipe iria semear inúmeras conquistas que iam além da melhoria da qualidade de vida das famílias e crianças acometidas com a síndrome congênita do Zika no nosso município”, afirma.

A psicóloga e coordenadora do Nasf de Socorro, Karoliny Almeida, ressalta a importância desse prêmio para a valorização do Nasf. “Esse reconhecimento é gratificante e reforça o quanto o trabalho do NASF é importante, atuante e resolutivo na atenção primária. Isso só é possível através da gestão que nos permite colocar em prática tudo que é trabalhado, sendo retrato de nosso cuidado com a população”, explica.

Por: Lucas Danrley (Estagiário)

Acessibilidade