O encontro, organizado pela Prefeitura de Socorro, ocorreu na manhã desta quarta-feira, 04

Discutir políticas públicas do Meio Ambiente em tempos que queimadas de grandes proporções têm afetado a Amazônia, é fundamental para se criar novas abordagens e estratégias para estabilizar o clima, frear o desmatamento e impedir que os ecossistemas cheguem a um ponto de degradação irreversível.

Em Socorro, ações de preservação do Meio Ambiente tem ocorrido, seja através da política de educação ambiental, como também através de fiscalização. E nesta quarta-feira, 04, a Prefeitura realizou, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), o I Seminário sobre Políticas Públicas do Meio Ambiente. “Sabendo da importância que o Meio Ambiente tem para o desenvolvimento da própria sociedade, a Prefeitura atende a esse debate para coibir a degradação do Meio Ambiente no município”, declarou o secretário de Meio Ambiente, Hallison Sousa.

O encontro foi organizado pelas Secretarias de Meio Ambiente (Semma) e Administração (Semad) e pela Procuradoria Geral do Município (PGM). “Para nós esse momento se inclui como uma das atividades do Programa de Qualificação do Servidor (PQS) e é fundamental esse momento de reflexão, principalmente por conta da situação que estamos enfrentando. É a partir desse conhecimento e alerta que colocarmos em prática nossas ações”, disse o secretário de Administração, Júnior Trindade.

Presente no evento, o gestor municipal citou a importância da participação social no processo de preservação. “Toda a sociedade precisa se sentir motivada para abraçar essa causa, para que possamos preservar o nosso futuro. Destruindo o meio ambiente, estamos destruindo a nossa própria vida. Hoje temos um trabalho muito importante que realizamos, através de algumas secretarias e da Fundação Brasil Ecoar, que desenvolve um belíssimo trabalho em todo o município, inclusive o porta a porta”, declarou Padre Inaldo.

O Ministério Público esteve representado pelo Promotor de Justiça, Sandro Luiz da Costa, que explicou o papel dos órgãos no processo. “A Constituição Federal preconiza que é dever do poder público, juntamente com a sociedade, proteger o meio ambiente para as presentes e futuras geração. São ações como essas que servem para firmar o compromisso do gestor na preocupação dessas prioridades ambientais. Nós fomos convidados para falar como o Ministério atua no controle e fiscalização dessas políticas”, explicou.

Além do promotor, o professor da Universidade Federal do Espírito Santo, Marcos Teixeira, também ministrou palestra. “O ponto a ser tratado será a questão da importância da administração municipal trabalhar em conjunto e não podemos deixar de falar da participação social. As políticas públicas não são uma designação isolada da gestão pública municipal, ela são, antes de tudo, uma ação da sociedade. Nós só podemos ter políticas públicas fortes e funcionais se tivermos a participação da sociedade na sua elaboração”, declarou.

Por: Bruna Evelyn

Fotos: Marina Santana e Antônio Carlos

Acessibilidade